O menino dos porquês

sm_nunolbmorais_phpZMaWYn

Foram algumas dores de cabeça para a minha mãe sempre que o Nuno ia para minha casa. Porquê? Por isso mesmo. Pelos porquês.

O motivo era um qualquer, mas a curiosidade ia aguçando e os porquês surgiam em catadupa até que o conhecimento se esgotava  e terminava num porque sim (não era bem esta a resposta…;).

Criado num ambiente de porquês, o Nuno cresceu e as respostas aos porquês originaram outros porquês. Pelas escolas onde passou o seu mérito foi reconhecido e traduzido pelas boas notas nas sucessivas etapas. Continuou e tornou-se Doutor.

Esta semana foi notícia o resultado do trabalho da sua equipa. Sem dúvida um marco importante na vida de um (jovem) cientista a publicação de um artigo na prestigiada Science.

O exemplo

O Nuno representa um símbolo de sucesso sendo um exemplo para os mais novos mostrando que é possível chegar (muito) longe, mas também para os pais.

Nas palavras do nosso tio Zé, a excelência do track record do Nuno é algo que já nos acostumamos, sendo que este milestone (publicação) é uma consequência natural adivinhando-se por isso muitos mais. Corroboro o mesmo quando refere que espera que sirva de exemplo e inspiração para as gerações mais novas. Acrescento para qualquer geração, pois o conhecimento é sinónimo de prazer e um percurso sem fim. 

Mas para além do cientista há o ser humano. E  nesse campo o Nuno já se doutorou faz muito tempo.

Termino com um episódio nas bancadas do estádio do Vianense. Estávamos prestes a assistir a um jogo para a Taça de Portugal, em que uma equipa teria de vencer. Como de habitual o Nuno começou com as suas perguntas:

“E se no final está empatado o jogo?”

Responde meu pai – tio: “Vai a prolongamento”

Nuno: “E se no final do prolongamento se mantém o empate?”

Tio: “Seguem-se pénaltis, série de 5. Se no final não houver vencedor, continuam-se a marcar pénaltis até que uma equipa falhe. Mas no passado não era assim, não havia pénaltis e o vencedor era decidido por moeda ao ar!”

Nuno:” E se a moeda caísse de pé?”

Foi risada total para quem estava a ouvir, mas que no campo das hipóteses ela, de facto, existia.

Ah, é verdade, também tem defeitos: é portista!

Anúncios

2 Respostas

  1. Tenho uma lágrima no canto do olho…
    Obrigado e Aquele Abraço!

  2. Je tiens surtout u00e0 te rappeler que si je dois commencer u00e0 avoir peur que chaque belle femme que je voie soit en ru00e9alitu00e9 un homme, je risque d’u00eatre tru00e8s malheureux. En plus, le profilage racial u00e0 la franu00e7aise, je peux m’en passer, merci. Je doute bien fort que j’aie u00e9tu00e9 entouru00e9 de quelques milliers de travelos mardi, alors arru00eate de dire des conneries, s.-v.-p. LOL! Click http://link.mx/hool081945

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: